Sem categoria

Alesc aprova moção da Deputada Ana Paula pedindo esclarecimentos sobre gestão do Hospital Universitário da UFSC

Florianópolis, 21/06/2017 - A Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou na semana passada Moção de autoria da Ana Paula Lima (PT/SC), solicitando o cumprimento de melhorias na estrutura física e de pessoal do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HUUFSC), em Florianópolis.

O documento, encaminhado ao presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), contratada em 2016 para fazer a gestão hospitalar do HUUFSC, e à Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina, solicita a chamada imediata dos aprovados no concurso público, a recuperação da estrutura física, a melhoria do parque tecnológico e a reabertura urgente dos leitos fechados do Hospital Universitário.

A adesão da Universidade Federal de Santa Catarina à EBSERH, empresa pública vinculada ao Ministério da Educação, foi aprovada pelo Conselho Universitário da UFSC em dezembro de 2015 e o contrato de gestão no início de 2016.

O acordo possibilitou a recomposição do quadro de pessoal do Hospital Universitário a 1.861 empregados, dos quais 837 novas vagas, por meio de concurso realizado; melhorias nos processos de gestão; elaboração de planos de trabalho para melhoria da estrutura física e recuperação do parque tecnológico; melhorias do sistema de informação; e elaboração do Plano Diretor Estratégico.

 


Arninho Buerger recebe, dia 21, Comenda do Legislativo Catarinense

Indicação para a homenagem é da deputada Ana Paula Lima

Florianópolis, 17/11/2016 – O empresário Arno Buerger Filho, de Blumenau, será um dos homenageados com a Comenda do Legislativo Catarinense, que será entregue pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em sessão solene no dia 21 de novembro, às 19 horas. A indicação é da deputada estadual Ana Paula Lima (PT).

“Arno Buerger Filho, ou simplesmente Arninho, comerciante, dirigente empresarial e esportivo, atleta, assessor parlamentar, pai de família, é um líder na vida e nas atividades profissionais. É um personagem de uma Blumenau charmosa, elegante, inovadora e empreendedora”, destacou Ana Paula.

“Como ex-presidente da CDL Blumenau, foi um dos responsáveis pela reurbanização da rua XV de Novembro, projeto inovador e que revitalizou o comércio do centro da cidade, numa parceria vitoriosa com o então prefeito Décio Lima”, acrescentou a deputada.

Além de empresário no ramo comercial e liderança sindical – foi diretor do Sindilojas e presidente da CDL – Arno Buerger Filho foi atleta em sua juventude, tendo sido tenista e jogador de futebol, nas décadas de 1060 e 1970. Jogou no Olímpico e no Palmeiras, e posteriormente foi diretor do BEC e do Metropolitano.

Cidadão Emérito de Blumenau, também foi chefe de gabinete do prefeito e depois do deputado Décio Lima.

“Arno Buerger Filho é um visionário colecionar de histórias, protagonista em nossa cidade, um espírito jovem que deixa sua marca em tudo o que faz. A ele rendemos nossas homenagens, com a Comenda do Legislativo Catarinense”, finaliza a deputada.

A Comenda do Legislativo Catarinense é realizada anualmente com o objetivo de homenagear pessoas ou entidades que fazem a diferença em Santa Catarina, buscando valorizar o trabalho das pessoas que contribuem com o desenvolvimento do Estado.


Parto humanizado é dignidade para mãe e bebê

Humanizar o parto é garantir o cuidado e a assistência necessária para que a mulher esteja empoderada e segura para viver integralmente esta experiência. É permitir que as crianças venham ao mundo cercadas de amor e carinho. A humanização significa devolver para este momento, essencialmente natural, o protagonismo da mulher.

Divulgação

 

O Parto Humanizado proporciona as condições ideais para que a mãe saiba das diversas opções e procedimentos que envolvem a gestação e o nascimento do bebê. Assim, ela poderá escolher livremente a forma mais segura do seu filho vir ao mundo.

Precisamos superar o preconceito a respeito do parto normal. Houve uma desconstrução do parto natural, visto por muitos como um modelo obsoleto, inseguro e que provoca muito sofrimento físico e emocional às mulheres. Isso não é verdade e é uma tarefa nossa rever essas crenças.

 

Os números e o Parto Humanizado

Quando pensamos em Parto Humanizado, pensamos em mudar uma realidade e números que revelam o sofrimento que, infelizmente, faz parte da realidade das mães e bebês:

  • O Brasil é campeão mundial de cesarianas.
  • A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que, no máximo, 15 dos partos sejam através de cesarianas. No entanto, o índice de cesarianas no Brasil é de 52%, chegando a 88% na rede privada de saúde.
  • Pesquisas apontam que, no Brasil, 28% das mulheres já começam o pré-natal com preferência pela cesárea (a média mundial é de 10%).
  • O parto por cesariana oferece riscos desnecessários à saúde da mulher e do bebê, quando realizado sem indicação clínica. É uma cirurgia que aumenta em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte da mãe.
  • Em nosso país, cerca de 25% dos óbitos neonatais e 16% dos óbitos infantis estão relacionados à prematuridade.

Ana Paula vai acompanhar aplicação de recursos para investimentos na região de Xanxerê

Florianópolis, 23/04/2015. A deputada estadual Ana Paula Lima (PT/SC) disse que vai acompanhar a situação dos municípios brutalmente atingidos pelo tornado em Santa Catarina e estar atenta a todas as doações e recursos que forem deslocados para serem investidos na região. “O povo tem pressa e não estava esperando uma catástrofe desta natureza. Nós, do Parlamento, e o Governo Federal vamos atender aquela comunidade. Temos que estar com os olhos voltados para a região que tanto sofre, contribuindo na solução dos problemas”, afirmou.

Foto: Assessoria de Comunicação/ Ana Paula Lima

Foto: Assessoria de Comunicação/ Ana Paula Lima

Ana Paula destacou a agilidade com que a presidenta Dilma Roussef ordenou aos ministros da Integração Nacional, Gilberto Occhi e do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, e ao exército brasileiro que prontamente se deslocou a Xanxerê, numa ação rápida, para auxiliar as pessoas. “A presidenta Dilma foi ágil neste momento e também o Ministério da Integração, que reconheceu o decreto de calamidade pública para que o município possa acessar os recursos o mais rápido possível e o do Trabalho, que já na terça-feira garantiu a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para as famílias”, disse.

A deputada frisou que em nosso país nunca presenciamos catástrofes desta natureza. “Víamos em filmes dos Estados Unidos ou de outros países. Realmente é alarmante, é a questão ambiental que está em jogo. Este rastro de destruição marca essas cidades: casas destruídas, arrancadas do solo, vidas perdidas”, comentou. Segundo ela, que é de Blumenau, cidade localizada numa região que também sofre com as tragédias climáticas, sabe exatamente o que essas famílias estão sentindo.

 

Assessoria Coletiva Bancada do PT/SC


Reafirmando a cidadania

Florianópolis, 8 de março de 2014.

É no cotidiano, na luta incessante por reconhecimento, cidadania e respeito, que as mulheres reafirmam sua história e buscam virar a página para que um dia possamos, todas e todos, viver numa sociedade menos violenta e sem lugar para discriminações. O dia 8 de março é um marco e continua a ser uma data necessária para que possamos, sim, comemorar os avanços conquistados. Mas as mudanças culturais, como sabemos, não são fáceis e ocorrem, na maioria das vezes, lentamente. Por isso, é necessário e atual que o Dia Internacional da Mulher seja mais um momento de debate e reflexão sobre o que já conquistamos, como garantir esses direitos e como ampliar os espaços.

É fato que quando falamos em leis que respaldem as mulheres, seja no mercado do trabalho ou contra a violência, por exemplo, pensamos em representação e protagonismo da própria história. Para se ter uma ideia de quanto trabalho ainda temos pela frente, lembremos que na Assembleia Legislativa, em 180 anos de existência, apenas 10 mulheres assumiram uma cadeira como deputadas. Em 2014, entre 40 parlamentares, apenas quatro são mulheres, apesar de 51% do eleitorado no Estado ser feminino.

Tem sido constante a cobrança para que o governo do Estado implemente políticas públicas que auxiliem nas mudanças. Há uma realidade a ser modificada. O Mapa da Violência de 2012, do Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, aponta que cinco municípios catarinenses estão entre os 100 mais violentos do país contra as mulheres: Lages (17º), Mafra (45º), Criciúma (83º), Balneário Camboriú (89º) e Chapecó(91º). Ao mesmo tempo, Santa Catarina é o Estado com maior diferença percentual entre o salário dos homens e das mulheres – 34,2% –, enquanto a média nacional é de 27,1%.

Todo o nosso reconhecimento às mulheres, que têm contribuído para que tenhamos uma sociedade mais saudável. E a certeza de que é imprescindível um esforço das instituições para que vislumbremos um futuro com mais esperanças.