Florianópolis, 10/04/2018 – Os recentes acontecimentos que culminaram com o ex-presidente Lula sendo carregado pelo povo, registrado em foto que correu o mundo, seguido por discurso histórico pouco antes de se apresentar à Polícia federal foram destacados pela deputada Ana Paula Lima (PT), em pronunciamento na Assembleia Legislativa de SC na tarde desta terça-feira, 10.

analula

Foto: Solon Soares / Agência AL

“A história se revela mediante um conjunto de imagens que ficam gravadas na mente e nos corações de quem vivenciou cada momento. E, tempos estranhos em que vivemos, nenhuma imagem impactou tanto quanto uma foto de autoria do jovem Francisco Proner. Com rara acuidade e sensibilidade em relação a narrativa histórica, o jovem fotógrafo capturou a imagem do momento em que Lula é carregado pelo povo, preparado para se apresentar à Polícia Federal”, apontou Ana Paula.

A parlamentar acompanhou nos últimos dias o ex-presidente Lula durante sua estadia no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP), e na vigília junto à Polícia Federal, em Curitiba (PR). Para Ana Paula, “o que ficará para a história é a iconografia da foto magistral mostrando coisa bem diversa – mostrou que não é possível prender uma ideia; confirmou que Lula é mais que uma pessoa, Lula é uma instituição”.

“E não importa mais o que disseram ou o que ainda venham a dizer a grande mídia, a parte comprometida do Judiciário, a oposição, a elite equivocada ou a parcela anestesiada da população; Lula agora é Gramsci no cárcere fascista; é Mandela, é Gandhi, é e será quem ele quiser”, acrescentou.

A deputada também lamentou os ataques às pessoas que esperavam, pacificamente, Lula na sede da Polícia Federal, em Curitiba.  “A vigília pacífica, mas corajosa bradava “lula guerreiro do povo brasileiro. Alguns entristecidos queriam apenas o direito de chorar, outros pretendiam deixar que suas vozes animadoras, confiantes, esperançosas chegassem a Lula – o gigante. Daí ocorreu o inesperado, a insensatez autoritária deixou escapar a intolerância; inconformados diante de tanto amor, tanto reconhecimento, violentos e covardes lançaram bombas de gás e tiros de borracha sobre o povo, escorraçaram as gentes que apenas exercitavam o direito constitucional à livre manifestação pacífica”.

Além da agressão aos militantes que aguardavam Lula, a deputada também lamentou os ataques a Lula, como as conversas com teor ameaçador à vida de Lula foram gravadas. “É preciso que se apure tudo: a violência, a omissão, a seletividade”, exigiu Ana Paula.

“Há que diga que o golpe foi consumado; se esquecem que a coisa não está no campo da justiças, a batalha é política. Se esquecem de que a roda da história não para. Por isso a vigília da paz prosseguirá. Não deixaremos as ruas e a luta”, disse Ana Paula. E finalizou: “O futuro do Brasil é que está em jogo. Com sua dignidade, lula derrotou os indignos. Lula livre!”