Florianópolis, 30/05/2018 – A deputada Ana Paula Lima (PT/SC) voltou a criticar nesta quarta-feira (30), durante sessão ordinária na Alesc, a atuação do governo de Michel Temer e do presidente da Petrobras, Pedro Parente, que em meio uma das piores crises no país anunciou o aumento no preço da gasolina a partir desta quinta-feira (31).

siteana

O preço nas refinarias subirá 0,74% e passará a ser de R$ 1,96 por litro. Em maio, o preço do combustível nas refinarias da Petrobras acumula alta de 9,42%. Para Ana Paula, a decisão de subir o preço soa como uma afronta ao país.

“Na época da Dilma, mesmo com os preços em baixa, o Ministério Público Federal entrou com uma ação. Essa tragédia foi anunciada por nós do Partido dos Trabalhadores. Isso é só a ponta do iceberg diante do que está acontecendo em nosso país”, destacou a deputada, lembrando que está em processo de privatização as agências dos Correios, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal. “Estamos vivendo o estado mínimo e quem vai pagar é o povo brasileiro”, disse.

Ana Paula afirmou ainda que apesar de alguns postos retornarem o abastecimento de combustíveis a situação não está normalizada e que tudo ainda pode piorar, “já que esta política do governo busca somente  acabar com nossas estatais, a exemplo da Petrobras”.

Ainda segundo a deputada, a política adotada pelo governo Temer e pelo presidente da Petrobras, Pedro Parente, está totalmente errada e, por isso, o Brasil está vivendo esse caos. “Eles pegam o petróleo produzido no Brasil, que antes era refinado aqui, mandam para os Estados Unidos e depois importam para o Brasil o que é nosso”, explicou.

Na tribuna, a deputada ostrou um cartaz  pedindo “FORA PEDRO PARENTE” e reforçou que a população brasileira precisa entender o que se passa no Brasil. “Estamos vivendo um dos mais graves momentos da história. A greve dos caminhoneiros que paralisou o país é de única responsabilidade do presidente Michel Temer e dos partidos que o mantêm no poder”, finalizou.